O mito do inglês perfeito (ou, como soar como um americano)

Vocês já devem ter visto vídeos e dicas de como soar como um americano ou britânico. É sempre interessante perceber esses detalhes e diferenças entre o sotaque americano, britânico e, por que não, escocês, australiano, indiano, etc.

Mas o que percebemos às vezes é quase uma obsessão de muitos alunos em como soar exatamente como um americano. Muitas vezes o aluno não quer parecer brasileiro ao falar.

A busca por esse inglês perfeito, fluente, ''como se fosse um americano'', pode desviar o aluno de coisas muito mais importantes no estudo do inglês.

Veja bem que o assunto aqui não é PRONÚNCIA. Pois isso é de fundamental importância. Estamos falando de uma outra palavra aqui e ali que americanos ou britâncos usam, uma contração mais natural e mais usada por falantes nativos, um som de 't' que não é exatamente pronunciado por americanos, etc.

Esses detalhes que, sim, são interessantes mas passam ao largo do que é saber e conseguir se comunicar eficientemente em inglês.

Tente ver por outro lado. Quando ouvimos estrangeiros falando português podemos dizer que, com certeza, são estrangeiros? Em quase 100% dos casos, sim. O falante pode ter um ótimo domínio do vocabulário, das expressões, das estruturas, das gírias, mas algo vai denunciar que a pessoa não é brasileira. Mas isso não vai impedir essa pessoa de se comunicar perfeitamente em português.

E o mesmo acontece em inglês. São raríssimos os casos em que um nativo não conseguirá identificar que se trata de um falante não-nativo, por mais perfeito que seu inglês seja. Então, tentar disfarçar que você é brasileiro, ou tentar soar como um americano, é um trabalho quase impossível. E muito pouco relevante se o seu objetivo é se comunicar em inglês.

Então fica a dica! Estudem vocabulário, estruturas, pronúncia, expressões idiomáticas, e não se preocupem com seu sotaque. Ele pode até adicionar charme ao seu inglês!

28 de junho 2017 | por Lydia Gibbons | Categoria: Blog